Você está aqui: Página Inicial > A PARAÍBA > Perfil Competitivo

Perfil Competitivo

por admin publicado 26/09/2014 11h09, última modificação 22/09/2015 12h45

A despeito da longa crise que afetou a economia brasileira em período recente, com suas fortes repercussões no âmbito regional, a economia paraibana manteve ritmo elevado de crescimento, especialmente nos setores de indústria e serviços.

Numa visão geral de suas potencialidades de crescimento e diversificação produtiva, devem ser mencionados alguns setores ou áreas estratégicas que se destacam pelas oportunidades que oferecem:

- A produção de frutas tropicais de alta qualidade, com base na irrigação e orientada para o mercado externo. A Paraíba já dispõe de recursos hídricos formados para sustentar uma agricultura irrigada na escala de 70 mil hectares.

- A construção do Canal Coremas-Mãe d´água, na Bacia do rio Piranhas, enseja a ampliação imediata de 10 mil hectares na área irrigada. Com a transposição das águas do São Francisco, a capacidade de irrigação da Paraíba pode ultrapassar os 150 mil hectares, desde que se faça o aproveitamento simultâneo do potencial existente na Bacia do Mamanguape e Baixo Paraíba, já em estudo pelo atual governo.

- A Paraíba, particularmente a cidade de João Pessoa, já constitui destino no crescente fluxo turístico que demanda o Nordeste, com origem no País e no exterior. O seu excepcional potencial nesse campo, representado por 120km de praias e por atrativos culturais e ecológicos singulares, adquire projeção com a instalação do Pólo turístico Cabo Branco. Com apoio financeiro do CREDETUR, esse empreendimento do Governo Estadual lança os fundamentos de infra-estrutura para amplas oportunidades de investimento em hotelaria e outros equipamentos turísticos.

- O crescimento industrial em áreas vocacionais pela oferta abundante de mão-de-obra e pela localização privilegiada, além daquelas associadas à existência no Estado de complexos industriais já consolidados e em expansão.

Entre esses complexos, para os quais se dirige maior parte dos capitais de investimento nos últimos anos, têm destaque os gêneros têxtil e vestuário, couro e calçados, eletroeletrônico, metal-mecânico e mineração.

- As oportunidades contidas na recuperação ou modernização de atividades agrícolas ou agroindustriais do tipo tradicional. Nesse caso estão os complexos agroindustriais do algodão, da cana-de-açúcar, o sisal e do abacaxi.

No âmbito da reestruturação do setor agrícola, delineiam-se novas oportunidades inscritas em programas de diversificação produtiva, entre as quais merecem menção a citricultura no Brejo Paraibano, a pecuária intensiva de pequeno e grande porte, a cultura de côco, de caju e a pupunha nos tabuleiros litorâneos.

- O potencial de crescimento das pequenas e médias empresas no Estado. Esse segmento produtivo tem revelado grande capacidade de expansão, dada à sua aptidão para explorar as oportunidades regionais e locais e aquelas derivadas da integração das cadeias produtivas, sobretudo em face à tendência crescente à terceirização.

A Paraíba dispõe potencialmente de recursos pesqueiros de alto valor comercial nos mercados nacional e internacional, como atuns, lagostas, pargos, camarões e tubarões. Entrecortada por 13 estuários (14 mil ha) com potencial para o cultivo de diversos crustáceos e moluscos, ainda é o segundo estado do Nordeste em quantidade de açudes (3.335 açudes públicos e privados) com grande parte própria para a piscicultura.

Reconhecendo esse potencial e a importância da atividade para a economia local, o governo da Paraíba está empenhado no Plano de Desenvolvimento da Pesca, com um projeto de pesca industrial de atuns e afins, que visa tornar a Paraíba sede da frota nacional de embarcações oceânicas que operam na região.